terça-feira, 24 de março de 2009

Tristeza vem de onde?



Fiquei triste e nem sei porque... Estava tão feliz hoje. Não me estressei no trabalho ((coisa rara...)), tive notícias boas, nem tive dor-de-cotovelo. Mas agora no final da noite me chateei. Às vezes as pessoas põem a gente pra baixo de uma forma tão precisa!


Nossa, tô querendo sumir, sensação muito ruim. Tipo um descrença em mim mesma... E ainda por cima tem a van! Sempre a van pra me animar:


"_Passei pertinho da sua casa, né?


Prrrllllllllllllll!!!


_Aham.


_Por que você não me falou?"


PRRLLLLLLLLL!!!


Agora vem cá, ele precisa de me falar o dia que tenho que pagar ele? Tem dois meses e filho da mãe ainda não sabe onde eu moro ou quem sou eu? Vai se fuder!


Ninguém merece!


Ah, sei lá, tô cansada de falação, de palpitação, de gente que acha que sabe de tudo, de gente que acha que é o dono da verdade, de gente que se acha engraçado demais. Sinto com se estivesse perdendo meu tempo.


Decepção, essa é a palavra! O que começou tão bem tá descambando ((como tudo na minha vida)) e dá uma melancolia justamente por eu perceber que não posso fazer nada pra impedir, que foi criado um abismo ali que não pode ser driblado, talvez nem se construirmos uma ponte.


Não quero que as pessoas tenham uma visão errada de mim, sou legal, sou bacana ((sou quase modesta também...)), mas principalmente, não sou uma pessoa que sente-se na obrigação de ficar provando isso o tempo todo... Daí a contradição: quero que as pessoas saibam que sou legal, mas não vou gritar aos quatro ventos e nem vou ficar atrás dos outros me esclarecendo.


Quero surpreender, porque sei que sou capaz.


Mas acima de tudo e o mais importante, não quero ficar mais triste assim...


BJu!

Epic