segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O que ando ouvindo ((literalmente... alô MP3...))


Vou copiar o blog da Nina ((http://menina-me-nina.blogspot.com/)) e fazer a brincadeirinha das perguntinhas com relação a música que estou ouvindo, porém com algumas adaptações. Licença, Nina:

O que não sai dos meu ouvidos ultimamente?
Seja no rádio, no PC, no MP3 Player, no carro da Manina, no celular da Mari, na Mtv, só dá ela: Lady Gaga! Qualquer música, aliás, o álbum Monster Fame na íntegra.

O que você sente/sentiu quando escutou?
Vontade de sair por aí cantando e dançando, achando que sei fazer isso... Dá vontade de dançar esquisitamente e não dar a mínima para o que os outros pensam ou deixam de pensar. Enfim, vontade de ser a própria Gaga em pessoa. Afinal de contas, caramba! A doida canta pra cacete e ainda toca piano clássico!

O que você imagina quando escuta?
Baladas, fashionistas na passarela, celebridades no tapete vermelho. Esquisitice e glamour. Enfim, todo o tipo de futilidade mais divertida que se possa apreciar!

Recomenda?
Hell, yeah! E se você ainda não viu/ouviu, por favor ressucite ou volte imediatamente para o Planeta Terra!

E Just Dance ((In The Dark)) com o Alejandro pois vocês dois could write a Bad Romance. Os Paparazzi ficaram So Happy com sua Fame que vão ficar simplesmente Speachless! Então, use e abuse de sua Poker Face!

BJu, ra ra ah ah ah, roma romamah, Gaga uh la la!



sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Não a censura!


Quero falar o que quiser.
Reclamar do que acho que me incomoda.
E falar mal de quem me apurrinha!

Ponto! Dedinho na mesa!

Abaixo a ditadura dos blogs!





BJu!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Meio sem rumo


Originalmente postado em 10/03/2008.

Tô me sentindo meio sem rumo na vida, meio perdida, desamparada até.

Sabe quando você, mesmo sem querer, faz muitos planos, aí você eventualmente quebra a cara e vê que aquilo, tristemente, não tem mais futuro e se encontra numa sinuca de bico? Não sabe se insiste nesses planos pré-moldados, ou se levanta, sacode a poeira pra fazer outros novos planos ((ou não...)).

Tá vendo porque não gosto de pensar no que vem a seguir? Por que não planejo nada?
Porque depois de me dar mal, fico perdidinha e ainda embaraçada diante de todos aqueles que me viram planejar ((querendo ou não)), mostro a eles toda minha fraqueza, vulnerabilidade e inocência. E eu odeio isso. Odeio ser considerada frágil e boba. Odeio ser quem eu sou...

BJu!

Coments: Não me recordo qual foi o plano que furou na ocasião, mas recentemente tem alguns exemplos... um foi o caso da "Tundra" lá. Achei que ia nadar de braçada, achei que estava encontrando um príncipe, o Alex é um musgo! Outro nem tão recente foi o caso do estágio... esse nem vou comentar, a burrice foi minha o tempo todo, de aceitar, de não conseguir conciliar, de não conseguir segurar e por fim, me ferrar. Mas acredite, estas não serão as últimas vezes que "meterei os pés pelas mãos" e que as pessoas irão perceber...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Férias no Afeganistão


Minhas férias ainda não terminaram, eu sei. Mas se perguntarem o que fiz durante esse tempo de recesso da faculdade ((só da faculdade, pois o trabalho continua...)) direi que viajei. E se perguntarem para onde fui, direi: pro Afeganistão.
Não, eu não fui fisicamente para o Afeganistão, e não, eu não estou dando uma resposta mal educada. É que nestas férias, decidi me dedicar a leitura e a Amanda me emprestou um monte de livros, entre eles, um de crônicas do mesmo autor de Marley e Eu ((descobri que amo a forma com que ele escreve)) e O Caçador de Pipas ((que ainda não vi o filme)). O livro é lindo, pensei que seria chato, mas não, sua leitura é leve, é sensível, e, há muito tempo não me emocionava com um livro... ((o último que me fez chorar rios de lágrimas foi À Espera de Um Milagre do Stephen King-tanto o filme quanto o livro)), não cheguei a chorar, mas por meus olhos lacrimejaram. E ao final do livro, quando você pensa que pode vir a chegar a um clímax feliz, humpf, ainda mais drama é adicionado a trama. Mas ainda sim, muito lindo este livro que nos fala sobre laços familiares, valores, religião, amizade, erros e o principal, a história do povo afegão e seu país destruído pelas guerras. O livro mostra praticamente toda a história do Afeganistão, antes da invasão comunista pelos Russos, durante sua invasão, o domínio do Talibã e sua opressão e o pós 11 de setembro. Está tudo retratado ali, juntamente a exploração das tradições daquele povo que parece o mais sofrido.
A obra do autor Khaled Hosseini deve ser apreciada, e se possível, utilzada como bússola por suas belas lições.

"Por você faria isso mil vezes!"

BJu de férias!

sábado, 2 de janeiro de 2010

As ironias da vida...


"Ironia: s. f. Expressão ou gesto que dá a entender o contrário do que significa; sarcasmo."

Isn't it ironic... don't you think? Já dizia Alanis Morissette nos idos dos anos 90.
Minha vida sempre fora regada a ironia. Eu mesma sou uma pessoa extremante irônica. E pensava que todos as outras pessoas também o eram e compreenderiam todas as minhas ironias. Irônicamente, recentemente, descobri que não é assim...
Mas o assunto aqui será outro: as ironias da vida, da minha vida.
Sempre achei extremamente irônico o fato de que as coisas nunca acontecem como eu imaginava que seriam, e tudo sempre acaba comigo dando com "os burros n'água". Não serei injusta e mal-agradecida aqui, pois o homem lá de cima sempre me deu uma força precisamente incrível, mas acho que ele ou qualquer outra entidade responsável pela ironia da vida, sempre se divertiu diante destas confusões. Pois bem, exemplos? Ok. Que tal o fato de eu ter contado com dois salários de meu pai ((o da aposentadoria e o do trabalho dele)) pra pagar minha faculdade e ele ser mandado embora? O fato de eu começar a gostar de alguém que seria perfeito pra mim, mas ele dizer não conseguir se comprometer ((ok, ele não era tão perfeito assim, mas o outro perfeito também não quis... - terreno arenoso aqui, todos meus relacionamentos foram pura ironia. Ponto!))
O fato de eu ter conseguido um estágio que me ajudaria a pagar a facul, mas tê-lo odiado e perdido? O fato de adorar meu emprego que vai mal das pernas? Ironias, ironias e mais ironias...
Existem muitos exemplos muito mais irônicos a serem mencionados ((caso você ache todos estes muito idiotas)), mas, irônicamente, eles não podem ser citados aqui devido a censura a qual este blog foi sujeitado meses atrás. Não é irônico? Um blog sobre coisas pessoais que não podem ser escritas? Você não acha?
Pedir opinião também pode ser irônico...
Gosto de ironias, mas de forma irônica, acho que elas não gostam de mim. Ou talvez, como tudo o mais, acho que é perseguição contra minha ((irônica))
pessoa.
Vai saber...
Comecei o ano de 2010 vivenciando ironias e algo me diz que ele todo o será assim.
O que fazer? Ergo a cabeça, limpo o pó do ano passado e, irônicamente, sigo em frente, contra tudo aquilo que parece previsível, ou seja, a desistência. Porque no final das contas é assim que as coisas são e seja o que Deus ((ou a ironia de alguma entidade))
quiser.

BJu aos irônicos, aos cínicos e aos sarcásticos.

Epic