segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Diálogo


O rapaz, deitado de frente a moça, olha em seus olhos e diz:
_Tenho algo a dizer, mas não sai, fica engasgado.
A moça percebendo o grau de seriedade no tom do rapaz, finge, zombeteira:
_Quer que eu dê uns tapinhas nas costas pra ver se desengasga?
Ele sorri e faz que não com um movimento de cabeça, mas volta ao tom sério:
_Não consigo dizer, porque é muito forte.
O coração da moça dispara e então ela percebe que ambos estão na mesma situação. Ela sorri para ele, silencia e olha dentro dos olhos dele. Depois de algum tempo em silêncio, este é por ela quebrado:
_É o mesmo que sinto e eu sei que é muito forte, então, acho que se sentimos o mesmo e sabemos o que é, não é preciso ser dito.

A conversa muda de rumo e os dois se distraem. De repente, ela assumindo a posição que o rapaz ocupava anterioremente, diz:
_Sobre aquilo que estamos sentindo e não precisamos dizer...
_Eu te amo. - disse ele, interrompendo-a gentilmente.
Ela abre um sorriso, talvez o mais sincero que já tenha sorrido e começa a desabrochar em um choro que nada tem de doído. É um choro de alívio, um choro de prazer, um choro de felicidade. Para tranquilizá-lo, já que ele a observava atentamente e com olhar preocupado, a moça olha em seus olhos, com lágrimas a escorrer pelo rosto sorridente diz:
_Eu te amo.
Os dois se beijam e com lágrimas em seus olhos, selam aquele momento tão especial, tão puro, tão mágico.
Ela feliz, pois nunca achara que ouviria essa frase algum dia e ele feliz pela oportunidade de dizê-la pela primeira vez.

Continua...

2 comentários:

  1. aaaaaahhhhhhhhhhhhhhh
    o puff e bebe, bebe nazista mas bebe
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


    lindos!!!

    uma sertaneja p combinar c vcs neh (a cara!!!)
    q seja eterno enqto dura esse amor q dure para sempre!!!

    ResponderExcluir

Epic