quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Faroeste Moderno


Ok, decidi me plagiar a mim mesma também:

Faroeste Moderno

Acerto de contas se dá em forma de duelo de faroeste

Brasília, 19/02/2011, sábado, 18h e 21 min.

Nesta tarde de sábado, dia 19, Brasília se tornou palco de um espetáculo sombrio: um acerto de contas ao estilo duelo de “western movies” em frente ao bloco 14, na Ceilândia.

João de Santo Cristo, 24 anos e Jeremias da Silva, 32 anos, se enfrentaram diante de câmeras de TV e vendedores de sorvete. O duelo foi anunciado pelo próprio Jeremias que entrou em contato com uma emissora local. O motivo do crime foi um acerto de contas entre os traficantes, além de certo grau de passionalidade, já que a atual esposa de Jeremias, Maria Lúcia Pereira da Silva, 23, havia se envolvido com Santo Cristo há alguns anos antes de se casar com Jeremias e ter com ele um filho de 2 anos.

Maria Lúcia também esteve presente na cena do duelo. Segundo testemunhas, foi ela quem levou a arma Winchester de calibre 22, utilizada pelo ex-amante, João de Santo Cristo para matar seu atual marido.

Duelo

Jeremias não esperou a contagem do duelo e atirou em João, acertando-lhe um disparo nas costas. João revidou com cinco tiros, matando o maior traficante da Planaltina.. João que já teve passagens pela polícia por furtos e além de traficante, também contrabandeava mercadorias bolivianas na mesma região, veio a falecer a caminho do hospital. Horas mais tarde, Maria Lúcia cometeu suicídio com um tiro na cabeça em sua casa.

De acordo com Pablo Gúzman, primo em segundo grau de João de Santo Cristo, o motivo pelo qual seu primo deixou sua terra natal, no interior da Bahia, foi uma tentativa de melhora de vida: “Ele dizia que queria era falar pro presidente pra ajudar toda essa gente que só faz sofrer”, contou Pablo.

Juliana de Fátima Faria.

5º período Comunicação Social – Jornalismo

Oficina de Jornalismo II – Prof. Gilson Raslan


Se ligaram nos fatos ((hechos)) da notícia? Legal, né?

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Pesos e Medidas ((a serem tomadas))



Peguei tudo e botei na balança.
O que realmente pesa, o que realmente compensa?
O que valeu a pena?
Momento felizes foram muitos, disse não tenho dúvida, porém, por quantas vezes eu passei raiva ((raiva desnecessária, por capricho))? Inúmeras vezes, quase incontáveis. Por quantas vezes me senti menor, infeliz, "a estranha", a errada.
Já disse por aqui mesmo o quanto odeio duvidar de mim mesma, perder a confiança em mim, que sempre é tão pouca...
Sempre dizem para fazermos isso, pesarmos o que é bom e o que é ruim nessa vida. Começa a ficar muito triste quando os momentos ruins começam a superar os bons. E aí vem mais alto-questionamento... Será que sou eu a errada? Será que sou tão ruim assim? Será que a teimosia é minha?
Como era minha vida antes? Será que mudou tanto assim? E de agora em diante? Por que me preocupo? Será que sou tão dependente assim? Fui eu que mudei ou foi minha paciência?
De repente só consigo pensar nas raivas que passei... O que me deixa mais triste ainda.
Haja preparação espiritual.
Será que hora de filtrar o que me faz bem? Ou será que já passou de hora?


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O que aprendi na faculdade nestes 2 anos:


· Aprendi que “quem pensa sozinho é doido”,

· Que não foi o Raslan quem disse que “quem pensa sozinho é doido”,

· Que os ET’s fabricam um milagroso elixir,

· que se você quer se “dar bem”, fique na cola do cara mais inteligente,

· que se você quer “puxar o saco” de um professor tentando mostrar serviço ((que você copiou do cara mais inteligente)), tem que esperar ao menos que ele faça a pergunta antes de responder,

· que a FUNEDI/UEMG tem “ê-meio” e site ((olha que bacana!)),

· que a assessoria de comunicação da FUNEDI pode ser muito sarcástica quando questionada,

· que ser coordenador do laboratório de rádio pode afetar sua sanidade mental,

· que ser estagiário do laboratório de rádio pode afetar sua sanidade mental,

· que sou ridícula e a Nina “esguincha” veneno,

· que o silêncio de certos alunos é algo valiosíssimo, mas impossível de acontecer,

· que o argumento final de uma discussão sobre prazos finais de provas e trabalhos é pendurar uma mochila nas costas e um artigo de 10 laudas,

· que viagens a Sabará são infernais,

· que trabalho+estágio+faculdade=morte cerebral,

· que no curso de Comunicação Social, estágio de recepcionista também vale,

· que os blogs Protótipo/Outsider nunca terão recorde de acessos,

· que o Nova Holanda é longe pra caralho,

· que a Festa da Cerveja é muito freqüentada por pagodeiros e que o espaço Cocuruto é frio pra cacete,

· que existe um evento chamado Jedicon,

· que professores da FUNEDI estão liberados para faltar se não receberam e então não tiverem grana para a gasolina,

· que não se deve deixar enganar NUNCA por uma professora que parece insegura durante as primeiras aulas,

· que fazer Comunicação Social é fazer voto de pobreza,

· que colocar apelidos nos professores é a coisa mais natural já que eles são tão “apelidáveis”,

· que fazer trabalho em Ermida pode ser tenso,

· que um movimento de mão é “desnecessário”,

· que a faculdade me deixa mais mal-humorada,

· que FUNEDI é freqüentada por cachorros e pombos,

· que aulas no NEAD aumentam os acessos ao twitter,

· que aulas no NEAD são uma “roubada”,

· que não existe criança/pré-adolescente mais insuportável do que a menina do churrasquinho,

· que dá pra fazer churrasco de coelho, mas que tem que consumir rápido, pois sua carne é muito perecível,

· que se pode namorar ((às vezes casar)) com alimentos em conserva e ursos de desenho animado,

· que existem “brechas no sistema” do xerox e da lanchonete do bloco de baixo,

· que Hamburguete com refri todo dia engorda, ficar sem comê-los engorda também,

· que viagens de van podem ser divertidamente traumáticas ((ainda vou descrever tudo o que aprendi na van)),

· que a mensalidade pode aumentar mesmo sem o aumento da carga horária,

· que o dinheiro da FUNEDI é gasto em cigarros,

· que o diretor “come” os empregados ((tire suas próprias conclusões...))”,

· que é proibido fazer festinha no laboratório de rádio,

· que o “ê-meio” da turma de Comunicação é na verdade um fórum de discussão ((e toma discussão)),

· que Cachorros “digenvolvem” para Bezerros,

· Que dormir na casa dos outros deixa o cabelo oleoso,

· Que vinho com sorvete não rola,

· Que travecos e patas são perigosos, principalmente na facul,

· Que cavalos andam livremente pela facul, ((éguas também)),

· Que existem “princess” que são umas FDP,

· Que a Nina se transforma em Hulk,

· Que a faixa de Boas Vindas é mais velha que a Bats,

· Que cada um tem sua carteira,

· Que professores esquecem a bunda antes de entrar na sala ((outros esquecem os peitos também)),

· Que “pau de virar tripa” pode dar aula,

· Que Chiuauas, Barbies, Pais de Santos, Chauís e outros seres também dão aula,

· Que você poder ser o Washington Olivetto da W/Brasil que o Fred coloca defeito no que você faz ((Até mesmo se ele próprio fizer)),

· Que coordenadoras dos laboratórios possuem irmãs gêmeas ((separadas na maternidade)),

· Que existem papagaios louros gêmeos,

· Que o menino do xerox tem uma bundinha boa. Kkkkkkkkkk ((essa não foi a Ju quem pôs, que fique claro!)),

· Que a FUNEDI oferece amoras grátis ((uma coisa pelo menos, neh?)),

· Que o posto de informação nunca funcionou,

· Que a casa rosa, tesouraria e outros escombros são ocupados por dinossauros

· Que as SS deviam explodir,

· Que deficientes precisam ser atletas lá,

· Que não se pode assinar chamada pros outros,

· Que existe uma “arvorezinha do amor” que é circundada de Boobassaurus,

· Que se formam grandes amizades no ambiente da faculdade, tão fortes que se fundem numa “panela”.

O que não aprendi na faculdade:

· Fazer pauta.



Plagiei esta ideia de duas pessoas, do Felippe que começou com isso na forma de um slide no "ê-meio" da turma e do Guh, que me ajudou a concluir e arrematar nossas "apreensões" nestes 2 anos de faculdade. Que venha mais "aprendizado" nos últimos 2.

BJu!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Tô na merda, mas tô feliz! =D


Enumerando problemas:
  1. Estágio problemático ((como sempre))
  2. Boleto problemático
  3. Tratamento médico ((caro))
  4. Volta às aulas na próxima semana
  5. Velhas chatas que me tiram do sério
Enumerando soluções:
  1. Fé em Deus
  2. Pé na tábua
Considerações finais:

Apesar de tudo isso, ontem tive uma dia maravilhoso ((final da tarde e início de noite principalmente))! Apesar de algumas tensões na semana passada e ainda no início dessa, o trabalho foi bacana, fiz compras de papelaria, tomei sorvete com o Guh e a Nick e fui assistir filme na casa do namorado. Namorado! Palavrinha mágica essa, mesmo no inicinho ela travava antes de sair, agora, escorre pela boca feito mel, desliza pela língua suavemente, enquanto o coração dispara e se enche de ternura e sentimentalismo. Ai, ai.
Não sei explicar bem, só sei que ontem, apesar de todos estes pesares, me vi tomada de uma satisfação tão grande, me vi leve, tranquila, "easy like a sunday morning".
Tô feliz, só isso!

BJu!

Epic