terça-feira, 13 de novembro de 2012

Bom para ambas as partes ((ou partida ao meio))

Eu sou uma pessoa só! Mas me divido em muitas... Acredito que todo ser humano deva ((ou deveria)) ser assim. 
Vou sempre bater na seguinte tecla: se soubéssemos respeitar a maneira de ser dos outros, viveríamos um mundo mais tolerante e, para a utopia das utopias, não haveria guerras ou preconceito. E fim!
Por que não aplicar isso no nosso dia-a-dia? Afinal, eu não concordo nem com metade das coisas que vejo, ouço, respiro. Mas eu tolero, eu relevo, não só para o bem da minha saúde mental, mas também porque cada um tem direito de ser do jeito que é. E fim de novo!
Se tem uma coisa que me orgulho de ser, é essa pessoa que pisa em ovos, que contorna situações, que pensa ((ou tenta)) antes de dizer/fazer alguma coisa. Nem sempre funciona, afinal, me policio ainda mais devido a minha personalidade baseada em meu signo de impulsividade. 
Não estou dizendo para ter sangue de barata, não! Aliás, quem sou eu! Aquela que dizem ter problema de relacionamento, aquela a quem perguntam "Você não disse isso pra ele (a), né?". Sou estourada, digo coisas que quando vi, já saiu. E fim! Mas, pera! São momentos de ira, onde o sangue de barata já derramou bonito. A questão principal que levanto é com relação as pessoas de convivência. E já facilito: se não me acrescenta em nada, muito antes pelo contrário, não convivo! Radical? Talvez... mas para quê insistir em algo que não vai te fazer bem e que, se você pode evitar, para quê procurar briga, encrenca? 
Agora, a coisa muda de figura totalmente quando se trata da questão de convivência. Ok, vocês tem opiniões muito contrárias, mas têm, obrigatoriamente que conviver. Virem-se! E a vida não é assim o tempo todo??? Mas e quando trata-se de ceder por alguém que você gosta? Afinal, relacionamento, dizem, não se baseia em concessões? Pois é! Aí eu acho mais do que importante, é imprescindível saber lidar com as diferenças, seja de quem você ama ou tem apreço, seja com quem a pessoa que você ama também ama. 
Amigos, família, trabalho, tudo aquilo faz parte da vida do outro. Você não tem que concordar com tudo e todos, mas tem que respeitar gostos, cheiros, sons e texturas diferentes. O tempo todo. E fim! 
Principalmente porque não há amor nenhum em pôr amizades e parentesco à prova! Não é justo para quem você ama dividí-lo ainda mais do que ele já se divide. As pessoas têm é que somar. E fim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Epic