segunda-feira, 12 de março de 2012


Eu tinha tudo! Bom, não tudo, mas tinha muito do que precisava. Estava no estado que se pode chamar de "quase lá". Paz no trabalho, um bom estágio que me garantiria um futuro. Planos! Eu tinha planos! Coisa que nunca tive coragem de fazer antes...

Mas, como tudo muda em questão de segundos, mudou tudo. Me tiraram o chão, a segurança, os sonhos e... os planos.

Me sinto triste e vazia ao pensar que daqui há 14 dias faço 28 anos e não tenho nada! E o pouco que tenho, vejo esvaindo... Perdi as esperanças, perdi a força. A fé tá por um fiapo.

Não quero perder o que me resta, mas me sinto fraca para lutar. Já passei por períodos assim e superei, espero superar mais este, no entanto, não sei como. 

Fico pensando se hoje sou mesmo diferente do que era antes. Diferente, não melhor. Longe disso. Talvez mais intensa... não sei. Às vezes tenho a sensação de que, na verdade, é tudo uma máscara e no fundo eu sou exatamente a mesma menina medrosa, boba, tímida e estagnada. Tudo me amedronta, me assusta, me paralisa. A única diferença é que não posso mais correr para os braços de minha mãe pedindo proteção. Agora sou só eu com o mundo, com as sombras, com o inimigo que muitas vezes sou eu mesma.

Meu medo maior não é meu futuro. É o meu futuro sozinha. Meu egoísmo, minha insatisfação podem acabar por afastar aqueles que ainda gostam de mim e me querem o bem.

Respiro fundo. Eu tinha tudo ou quase tudo que precisava para "chegar lá". O que tenho hoje? Minha vida. E é vivendo que vou conhecer o meu futuro.


Epic